Inferno

O ser humano nunca ouviu falar, nem as escrituras relatam, se realmente o Inferno existe; então, resolvi postar na íntegra, como recebi o ensino dado pelo o anjo Maria Madalena, sobre este tema. Cabe a mim informá-los, que ela o me deu, antes de ser liberta de lá, do Inferno; contudo, pelo o fato de ocupar muitas linhas, o texto foi adaptado para atender às necessidades deste site; o ensino, faz parte de um livro meu não publicado.

Os meus registros serão melhores compreendidos, se forem lidos, folheando estas Escrituras Associadas:— A Bíblia Sagrada

O Livro de Mórmon

Doutrina e Convênios (sigla: D&C); e Pérola de Grande Valor: livros associados de Moisés (sigla: Mois.) e Abraão (sigla: Abr.)

Os três últimos livros são oriundos da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

A alma de Maria Madalena veio a mim em busca de socorro… no dia 12 de março do ano de 1996:

Eis que, dentre todas as experiências que tive na vida, esta foi a mais incrível até esse dia.

Cheguei do meu trabalho noturno e desejei dormir logo. Porém, Louise teve que sair com urgência… e eu tive que ficar com as crianças. A ex então pegou as filhas às 13 horas e, enfim, eu pude dormir.

Acordei às 16h04 e pensei que Louise não tinha chegado. Então, fui à sala assistir à televisão com os dois filhos dela, e vi que ela dormia no sofá.

O filme acabou às 17 horas, e dois minutos depois, olhei para ela e notei que parecia ter um pesadelo. Portanto, mandei as crianças irem brincar no quarto e me aproximei de Louise… e pus a mão direita sobre sua cabeça e orei… Então, ela ficou possessa por um demônio; o qual, com rapidez, puxou minha mão, sentou-se no sofá e me deu as costas:

— Qual é o teu nome?

— Não posso te revelar. Tire as crianças da casa. — meio atordoado atendi ao seu pedido.

— Quem te mandou aqui?

— Lúcifer, a mando da tua ex-concubina que quer matar essa aqui — Louise. Mas eu não quis matá-la, pois ela não merece.

— Faz muito tempo que você está nesta casa?

— Há alguns dias, mas eu não quis fazer o mal à tua esposa Joel; ela não merece isso.

— De certa forma, você também não pode, não é mesmo? O Meu Deus não deixaria.

— Não. Você está com medo de mim, Joel?

— Depois das coisas que me aconteceram, não tenho medo de nenhum deles. — demônios. Nada mais neste mundo me surpreende!

— Eu sei que já aconteceu muita coisa! Está vindo um anjo nesta casa, não está?

— Sim, está! Posso ti fazer uma pergunta?

— Pode! Se tiver ao meu alcance e me for autorizada, eu responderei.

— Qual é a verdadeira intenção da ex, pois ela jamais me terá de volta?

— Tua ex quer tirar a vida desta aqui — Louise — de qualquer maneira, pois ela pensa que se isso vier a acontecer… você vai se sentir sozinho e vai voltar para ela. Mas só ela pensa isso entendeu: tu não voltarás, mas ela está achando que sim.

— Ela ainda está sendo ajudada pela família?

— Sim!

“Além das feiticeiras que a ex procurava… havia um orixá movido pela cachaça… incorporando sempre no corpo da mãe da ex… e orientando a filha. Noutrora este orixá me falou que ia quebrar minhas pernas, se eu não fizesse o que ele queria. Como não fiz, antes mesmo de me separar da ex, o orixá juntou-se a outros demônios que também possuíam o corpo da velha… e, passaram a me lançar ameaças e feitiços… quais só afetavam à Louise.

Porém, anos depois, a mãe da ex levou um tombo e passou a andar apoiada num cabo de vassoura, pois bateu o cóccix no chão e machucou a perna. — o orixá não desejou quebrar a minha? Sofrendo em demasia, ela passou até a usar fraldas geriátricas; e, segundo falou a neta dela, a avó pedia à morte logo, porém ela tardava a vir. Quando finalmente em sofrida velhice ela morreu, — ano 2013 — as netas dela, diziam com ênfase despudorado:

“Minha avozinha querida, tu que eras “tão boa” , agora fostes levada para o “céu” ao lado de Deus. Pedimos-te então que ores por nós e proteja. “Saudades”.

Infelizmente, creio que a avó delas não pôde pedir nem por ela mesma, pois fora posto cativa, a correntes nas Trevas; igual a mãe de uma conhecida – que faz parte de uma outra história”.

— Acreditas no que te falo, Joel?

— Sim, estou acreditando, mas não estou com nenhum medo de você.

Nesse instante notei que o ser estava receoso diante de mim.

— Posso me sentar?

— Sim. — respondi. Pode.

— Você pode me dar um copo de água, Joel?

— Sim, posso! — fui pegar a água e retornei:

— Por favor, coloque o copo com água no braço do sofá, para evitar que tu me toques. — assim o fiz.

Você não pode me tocar Joel, pois, se isso acontecer, quando voltar ao inferno eu vou sofrer muito.

Tu entendeste, por que eu puxei a mão dela?

— Agora entendi. Se eu te tocar e você voltar, tu irás sofrer por ter falhado na tua missão?

— Isso, eu terei que pagar pelo meu fracasso.

— Obrigada, você é muito bom, sabia? — o ser ingeriu a água. Eu fui mandada para tirar a vida dela, — Louise — mas não farei isso. Ao voltar direi a Ele — Lúcifer — que não pude cumprir a missão. Os outros — demônios — vêm para a terra e cumprem o que lhes for designado, mas eu não faço o Mal a ninguém. Estou lá no inferno porque Ele — Lúcifer — praticamente me levou para lá. Não foi por minha vontade.

O ser continuava receoso e com muito medo que eu tocasse no seu corpo.

— Pode me dar mais água? Você não sabe há quanto tempo eu não sei o que é água, pois Ele — Lúcifer — nos deixa enjaulados e sem comer e beber por muitos dias.

— Você está acreditando em mim Joel?

— Posso, estou! Tu foste o único — demônio — que não me fez mal, mas os outros? — falei sem discernir, pois noutrora ela intentou enquanto eu dormia, porém o meu Espírito celeste… ergueu-se do corpo com a intenção de combatê-la.

— Então, por que você não olha para mim?

— Não vai te prejudicar se eu olhar nos teus olhos? Pois os outros — demônios — que vieram antes, não podiam fitar os meus. — para não serem discernidos no corpo.

— Não, você só não pode me tocar! Essa casa tem uma paz tão grande, sabia?

— Sim, eu também sinto isso.

Enfim, transmiti confiança ao ser que deixou o receio de lado e…

— Você se importa que eu fume os cigarros dela? — Louise.

— Não, meneei a cabeça.

Então, ela me concedeu estas revelações (numeradas):

1 O destino da ex já está traçado e eu não posso mudá-lo. — o ser não me revelou o que irá acontecer com a ex.

2 O ser ainda dominado por Lúcifer não permitiu que eu tocasse em seu corpo, pois o Meu Deus havia me conferido o Espírito Santo; portanto, se houvesse um único toque entre nós… quando voltasse ao inferno o ser sofreria muito, por que Lúcifer saberia que houve combate entre nós e que ela havia falhado em sua missão.

3 A permanência do ser em minha casa nessa tarde, só ocorreu porque Ele — Lúcifer — estava ocupado e não pôs nenhum demônio para vigiá-la.

4 Os espíritos cativos sofrem muito no inferno. Ele — Lúcifer — os deixa enjaulados e queima muito com fogo [Jo. 15:6, D. & C. 43:33, 29:28, 63:17, 76:32-36, 44, 103-105, Al. 12:16-17, 5:32-36].

5 O ser que me concede revelações, é uma mulher, o corpo espiritual dela está todo queimado, mas eu não posso vê-lo através do de Louise. Iguais ao dela, estão os corpos dos outros cativos no inferno.

6 Os espíritos cativos sofrem muito no inferno. Ele — Lúcifer — os deixa enjaulados como animais e queima muito com fogo. Assim, ficam enjaulados e sofrendo; até que, em certo tempo, eles são mandados à terra para fazer o Mal. Se não cumprem as ordens Dele — Lúcifer — eles sofrem; e também se cumprirem… sofrerão do mesmo jeito. O sofrimento é eterno [Mórm. 9:4].

7 Os outros demônios vêm para a terra e cumprem o que lhes for designado. Mas, o que estava no corpo de Louise nessa tarde, — e fez uma descrição de como é o inferno — revelou não fazer o Mal a ninguém, e que ela havia sido levada cativa, não por vontade própria; porque Ele — Lúcifer — praticamente a subjugou e levou para lá; esse mesmo destino terão muitas pessoas na Terra [Al. 12:17, 40:13, 2Ne. 9:16, 45-46, 28:19-23, Mos. 16:2-5, He. 14:30-31].

8 Existem muitos espíritos cativos querendo sair do inferno… e tornar-se livres do Poder de Lúcifer. Mas, é praticamente impossível que eles sejam libertos. — exceto alguns escolhidos.

9 Os anjos de luz têm asas; e os seres das Trevas, não. Eles não têm asas, e quando se apossam de um corpo, eles vêm em formato do corpo de um homem. O anjo que vem à minha casa tem asas, mas eu não posso vê-las.

10 Foi o próprio Lúcifer, quem me provocou aquela terrível dor nas costas; também, foi Ele o “ser negro” que Louise viu à sua frente noutrora.

11 Os seres das Trevas continuarão a vir à minha casa… molestar a mim e a Louise, e virão até quando for necessário. — pois, eu ainda estava sendo Aperfeiçoado. Porém, iriamos ter paz [1Pe. 4:12-19, D. & C. 122:5-8, 29:39, Al. 42:4, 2Ne. 9:27, 29, Mt. 5:3-12].

12 Tirar a vida de um ser humano, esse é o maior pecado que um homem pode cometer perante o Meu Deus. Não obstante, muitos incorrem nesse erro; sujeitando seus espíritos ao inferno após a morte [D. & C. 42:18, 79, Mois. 5:39].

— Tu estás acreditando em mim Joel?

— Sim, estou!

— Eu estava enjaulada, mas apareceu esse trabalho — destruir Louise, e Ele, Lúcifer me mandou cumpri-lo. Mas eu não quero fazer o mal; e ela — Louise — não merece isso. Eu dei muita sorte de ter vindo à tua casa, sabia? Pois você pode me ajudar a sair de Lá — do Inferno.

— Eu posso, tem certeza?

— Sim, pode! Eu preciso de tua ajuda [Is. 42:1-8, 49:3, 9]. Há alguns dias eu estou na tua casa, mas só estava esperando uma oportunidade para falar contigo… e ela surgiu hoje. Eu tive sorte de ter vindo à tua casa, porque você acredita em tudo.

— Você acha, ou tem absoluta certeza?

— Só você pode me ajudar a sair de lá [Is. 42:1-8, Jo. 8:36], Joel.

— Existem outros demônios querendo sair do inferno, igual a você?

— Sim, muitos! Quando o anjo vier, pergunte a ele sobre mim. Ele vai te falar quem eu sou e o que fazer para me ajudar.

— Tudo bem, então eu vou pedir para ele vir mais cedo e irei te ajudar.

O espírito ficou alegre e me pediu mais água e cigarro e eu os dei.

— Esta casa tem muita paz… ao contrário do lugar para onde vou — inferno. Você está com medo de mim Joel, está me acreditando?

— Não estou com medo, mas acredito em você e vou te ajudar.

— Contando essa experiência, ninguém acredita, não é mesmo?

— Verdade, é difícil para as pessoas crerem em algo que desconhecem.

— Você não pode falar o que acontece com vocês a outras pessoas. Pois não irão crer e lhe chamarão de louco. Conte apenas a ela — Louise.

— Eu não contarei, ficará aqui mesmo.

— Você pode me dar mais água? Tu não sabes há quanto tempo eu não bebia este precioso líquido, pois Ele — Lúcifer — nos deixa sem comer e beber por muitos dias no Inferno [Lc. 16:19-31].

— Tome, beba.

— Grata.

— Me ajude Joel, pergunte ao anjo o que fazer, eu sinto que Ele vai falar.

— Ele vai! — eu senti arrepios no corpo.

— Me ajude, e eu também te ajudarei muito, em tudo.

— Quando você sair das Trevas, não é mesmo?

— Sim, me ajude e eu te ajudarei muito.

— Se tu puderes, diz-me se o Meu Deus tem um trabalho a ser realizado por mim, pois eu sinto isso?

— Sim, Tem um grande trabalho… muito grande e bonito, muito bonito! Eu estou falando demais, não estou Joel, você quer que eu vá embora?

— Não, fique à vontade, desfrute um pouco desta paz em minha casa, antes de voltar para as Trevas.

Em seguida, o espírito me pediu mais água e cigarros… e me revelou coisas que aconteceram na vida dos meus familiares. Depois falou:

— Tenho que retornar — ao inferno. Quando lá chegar, direi a Ele — Lúcifer — que não pude cumprir a missão. Sei que vou sofrer dizendo ter falho, mas eu estou muito feliz. Tu deves falar com o anjo, ele dirá tudo a meu respeito. Quando vocês se deitarem na quinta-feira, Louise dormirá logo, mas não se preocupe, pois, o anjo chegará neste momento. Ajude-me Joel, me ajude; e eu também vou te ajudar muito, em tudo. Por que o Teu Deus que também será o Meu Deus, Tem um grande trabalho a ser realizado por ti Joel… muito grande e bonito, que se realizará no futuro!

— Falarei com o anjo… e sinto muito pelo local que tu vais voltar — ao inferno.

— Sinto que na semana que vem eu estarei livre daquele lugar.

— Senti arrepios no corpo, sinal que você estará livre. Prometo que te ajudarei!

— Preciso ir Joel, não a force a ir à igreja que tu frequentas, pois Louise tem tendência católica, tchau.

O espírito que esteve em minha presença nessa tarde estava em grande sofrimento e desespero; ela não permitiu de forma alguma que eu tocasse em seu corpo, e teve muito medo que Ele — Lúcifer — a visse me conceder às revelações; também, ingeriu muita água e fumou cigarros. Mas, depositou em mim toda a sua confiança para libertá-la das Trevas. Ela se foi às 18h32.

error: Conteúdo Protegido!